Nesse artigo vamos te contar como as bandeiras da conta de energia funcionam. Afinal, elas podem impactar diretamente o seu orçamento. Descubra!

O valor na conta de energia pode ser modificado por uma série de fatores. Sendo assim, as alterações mais comuns são o aumento ou redução no consumo e os impactos das bandeiras na conta de energia. Por isso, hoje vamos esclarecer como as bandeiras funcionam, quais as suas classificações e motivos de alterações. Saiba mais!

Quais são as bandeiras da conta de energia

As bandeiras são divididas em três classificações: a bandeira verde, a bandeira amarela e a bandeira vermelha. Por isso, para facilitar a compreensão, vamos usar uma metáfora simples:

Imagine que as bandeiras são semáforos, sendo assim, quando a bandeira está verde significa que o consumo de energia está mais liberado, as tarifas estão menores. Sendo assim, quando a bandeira passa a ser a amarela, é necessário que o consumidor comece a prestar mais atenção nos gastos porque as cobranças subiram o valor. Afinal, quando a tarifa está na bandeira vermelha, significa que as taxas estão mais altas e que o impacto financeiro será maior.

Os valores acrescidos na bandeira amarela equivalem a R$ 1,874 por 100 kilowatt-hora. Enquanto os valores da bandeira vermelha podem variar entre R$ 3,971 por 100 kWh no patamar 1 e até R$ 9,492 por 100 kWh no patamar 2, que é o mais elevado.

Por isso, quando é noticiado que a tarifa passará a ser cobrada na bandeira vermelha é importante que o consumidor fique atento. Além disso, reduza o seu consumo para evitar gastos não planejados.

Por que há alteração nas bandeiras?

As alterações nas tarifas sinalizadas nas bandeiras da conta de luz estão relacionadas à facilidade da concessionária gerar energia naquele período e ao nível de consumo de energia que a população está fazendo.

Quando a geração de energia está abundante e o consumo de energia está controlado, entende-se que o “saldo” está positivo e não há necessidade de acender um alerta. Conforme esse cenário vai mudando, algumas medidas começam a ser necessárias. Dentre elas, a alteração das bandeiras na conta de energia.

Um exemplo prático que frequentemente altera as bandeiras da conta de energia é o período das secas. Como no Brasil a geração de energia é, em sua maioria, dada por usinas hidrelétricas que utilizam o volume de água para a produção energética, a falta de chuva pode influenciar a quantidade de energia gerada naquele período. 

Por isso, as fases de seca em determinadas regiões do Brasil podem afetar diretamente as bandeiras da conta de energia. Conforme os reservatórios de água das hidrelétricas vão esvaziando, os alertas começam a ser emitidos. Para, de fato, amenizar o impacto é necessário que a população reduza o consumo e as condições de geração de energia estejam favoráveis. 

Agora que você já sabe a importância de estar atento às bandeiras da conta de energia, você pode conhecer melhor o projeto Ilumina Hortolândia. Temos certeza que você também irá gostar!